Circuit Breaker – o que é?

Após sucessivas quedas e oscilações bruscas nas bolsas ao redor do mundo nas últimas semanas em consequência do Coronavírus, o investidor se deparou com mais uma bomba no mercado – o maior exportador de petróleo do mundo iniciou uma guerra de preços no sábado, reduzindo ao máximo os preços de venda para o mercado externo, oferecendo descontos sem precedentes na Europa, Extremo Oriente e EUA para atrair refinarias para comprar petróleo saudita a  as despesas de outros fornecedores. O petróleo brent chegou a cair 31%, reduzindo a queda depois para cerca de 20%. A bolsa brasileira iniciou o pregão de ontem com uma queda acima de 10% no índice.

Não deu outra: A bolsa de valores acionou o circuit breaker, um mecanismo usado para conter a volatilidade e proteger o mercado. Para muitos investidores iniciantes, esta pode ser uma novidade, por isso, vale lembrar que não é a primeira vez que ocorre e provavelmente não será a última. Mas o que exatamente é o circuit breaker?

É um mecanismo disparado pela bolsa para interromper a sessão quando ocorrem oscilações muito bruscas e atípicas no mercado de ações. Esta pausa, acaba sendo usada justamente para tentar conter o pânico exacerbado dos investidores. Em outras palavras, a bolsa está dizendo aos seus investidores: Saia do Home Brocker, respire, dê uma volta, pense melhor, e depois volte a operar.

Não é à toa que o norte-americano Richard Thaler, ganhou o prêmio Nobel de economia em 2017 por ter desenvolvido a teoria de finanças comportamentais, uma teoria que une economia e psicologia.

O que mais movimenta o mercado, são as pessoas atrás da tela do computador, que, movidas por emoção, acabam tomando decisões não tão racionais, ainda que o assunto finanças exija o máximo de racionalidade e frieza possíveis.

Outros casos de Circuit Breaker

A última vez em que os negócios foram interrompidos foi em 18 de maio de 2017, durante 30 minutos, na esteira do “Joesley Day”. Naquela sessão, o Ibovespa fechou em queda de 8,8%.

Antes disso, o mecanismo já havia sido acionado pela primeira vez em 28 de outubro de 1997, um dia após a bolsa registrar uma queda superior a 14% durante a crise financeira da Ásia. Naquele ano, o circuit breaker foi acionado por mais duas vezes. As vezes seguintes em que o Circuit Breaker foi acionado, ocorreram nos anos 1990, sempre associadas a algum grande acontecimento no mundo.

O mecanismo entrou em ação também em 22 de outubro de 2008, quando a bolsa fechou em queda de 10,18%. Em outubro de 2008, o pregão chegou a ser interrompido por quatro vezes durante meia hora e por uma vez durante uma hora, em um período marcado pela forte crise financeira global por conta da crise do “subprime”.

Mas, e agora, o que esperar para os próximos pregões?

De acordo com Luís Flavio Chapadeiro, analista de Equities na corretora Guide Investimentos, os principais Bancos Centrais do mundo deverão dar sequência ao afrouxamento das condições financeiras, acompanhado de anúncios de novas medidas expansionistas por governos do lado fiscal.

Tendo tudo isso em vista, no cenário de curto prazo, ainda esperamos elevada volatilidade nos mercados, que devem seguir operando com viés de baixa em função do avanço do Coronavírus e de possíveis novos choques que intensificam o movimento, como o visto hoje no petróleo.

É muito importante neste momento, que as decisões sejam tomadas com cautela, diversificando os investimentos e o risco sempre. Converse com o seu assessor de investimentos e saiba melhor como agir neste momento.  

Já possui a assessoria financeira da Invista Mais? Conheça melhor o nosso trabalho e história.

Converse com um de nossos especialistas através do WhatsApp.

Autora – Milena Silva
CEA, CPA 20 e ANCORD

× Como posso te ajudar?